segunda-feira, 24 de abril de 2017

Guia de Acessórios: Maxi Brincos


Oi meninas tudo bem?

O post de hoje é um guia super completo do acessório mais queridinho deste ano: o maxi brinco! A onda de maxi chegou pra ficar mesmo. Seja nos colares, nos brincos ou nas pulseiras é preciso saber usar para não ficar um look exagerado, mas elegante. 

A tendência começou no Dolce & Gabban em 2013, em que os maxi colares deram lugar aos brincos grandes suntuosos, sempre com uma pegada barroca.  Logo depois a influência cigana foi a aposta dos fashionistas para a coleção de verão deste mesmo ano.

De lá pra cá surgiram maxi brincos de todos os tipos, ouro, miçanga, acrílico, com frangas, e aí vai. Vamos ver alguns modelos deste acessório.

#1 Tipos de Maxi Brincos



1. As argolas voltaram! O que era moda nos anos 90, agora volta com tudo e em diferentes modelos.

2. Franjas, muitas franjas! Existem diversos modelos para você usar, em argolas, leques, geométricos. 

3. Geométricos também são tendência. O formato oval ou triangular vai do seu gosto. 




4. Pedraria: mais sofisticado na maioria dos casos, as pedras variam de tamanho e cores. 



5.  Leque: essa opção é moderna e com muito estilo. 

6. Pompom: divertidos e femininos, trazem um toque de ousadia e modernidade para os looks. 

#2 Dicas para usar Maxi Brincos

1. Não abuse de outros acessórios ao usar um maxi-brinco. Maxi colar, maxi brinco e maxi anel junto não é legal. Opte por um acessório maxi para equilibrar look. 

2. Se você preferir acessórios mais discretos, você pode usar um maxi brinco que seja parecido com a cor do seu cabelo. Assim o brinco e seu cabelo vão deixar um ar mais natural e ao mesmo tempo descolado.

3. Sem essa de achar que quem tem cabelo curto não pode usar maxi brinco. Escolha os brincos com franja ou em formato vertical, vai ficar lindo. Para cabelo longos, peças em formato oval caem muito bem.

4. Atenção as cores do look. Roupas mais neutras pedem um brinco de cor forte e formato marcante. Já se o look for colorido ou metalizado, opte por brincos de uma cor só, ou em dourado/prata. 

5. Os brincos de leque pode ser usado em qualquer look clean, com uma pegada trabalho, pois combina com diversos tipos de peças, como pantalona e saia lápis. 


6. Para os brincos geométricos, é preciso atenção em dois aspectos. O primeiro é em relação ao look, se nas peças que você está usando possuírem linhas, listras ou poá, deixe o brinco geométrico de lado. Opte por um brinco mais neutro. O segundo ponto importante é observar o formato do seu rosto, por exemplo, se o seu rosto for aredondado, evite maxi brincos no mesmo formato.

7. As argalos são peças mais versáteis e fica bem com tudo, inclusive com looks mais trabalhados, como rendas e brilhos. Argolas com pedras ou em ouro fica ótimo para uma festa. 

8. As pedras podem ser colorias ou neutras, use para dar um up ao seu look, em eventos noturnos ou ocasiões especiais. 

9. Os pompons pode parecer difíceis de usar, mas na verdade é só equilibrar com o look. Utilize peças soltinhas com botas de cano curto. Outra opção é usar uma sobreposição de blusa branca e vestido preto, fica lindo e confortável.


#3 Onde comprar Maxi Brincos?

ThayDreams Store: Meninas, minha lojinha vende acessórios lindos. Vendo pelo instagram e whatsapp. Veja AQUI. Todos os brincos do post são da lojinha!

Amo Muito: Já comprei diversas vezes nessa loja e amo. A entrega é rápida e os produtos são de boa qualidade! Veja AQUI.

Francisca Jóias: Pra quem procura produtos mais sofisticados aqui é lugar, a Francisca vende semi jóias e entrega em todo Brasil. Veja AQUI

#4 Para se inspirar:







E aí meninas, o que acharam do post?
Responda aqui nos comentários o que vocês querem ver por aqui. Bjos! <3 





segunda-feira, 10 de abril de 2017

Séries: Vi e Amei!



Oi meninas tudo bem??
E vamos falar de sériees??? :D

Hoje vou mostrar pra vocês as séries que estou assistindo atualmente, as minhas queridinhas!!! <3
Já fui de assistir mil séries ao mesmo tempo, hoje em dia tenho assistido só seis! Vem conferir!

#1 Gotham | Nota IMDB: 7,9

Sinopse:  Um novo recruta no DPGC chamado James Gordon está emparelhado com o veterano detetive Harvey Bullock para resolver um dos maiores casos em destaque em Gotham City o assassinato de Thomas e Martha Wayne. Durante sua investigação, Gordon encontra o filho dos Wayne, Bruce que agora está sob os cuidados de seu mordomo Alfred Pennyworth. O encontro com Bruce reforça a obrigação de Gordon para capturar o misterioso assassino. Ao longo do caminho, Gordon se envolve com as famílias e associados da máfia de Gotham incluindo a gangster Fish Mooney, Carmine Falcone , e Salvatore Maroni. Eventualmente, Gordon é forçado a formar uma improvável amizade com Bruce, que irá ajudar a moldar o futuro do menino em se tornar Batman.

Minha opinião: Essa séria é sensacional. Isso porque os atores interpretam os personagem fenomenalmente, e a entrosagem é perfeita! Eu sempre gostei de Batman, mas ver Bruce crescer é uma experiência incrível. Assim que vi o trailer já amei, isso porque eu vi o lindo do Ryan Atwood kkkkk (se você já viu The OC sabe do que estou falando) :D Bom, como eu estava escrevendo, quando vi o Ben McKenzie já fiquei super curiosa para ver a série, e ela está maravilhoso no papel de Jjames Gordon. Destaque também para o Pinguim e Fish Mooney, que são meus personagens favoritos! Eles arrasam demais, a expressão facial dos atores é de tirar o folego! 

#2 The Flash | Nota IMDB: 8,1

Sinopse: Após testemunhar o estranho assassinato de sua mãe e a injusta acusação de seu pai pelo crime, Barry Allen fica sob os cuidados do detetive Joe West e sua filha Iris West. Barry se torna brilhante, mas socialmente, um cientista forense desconhecido trabalhando para o Departamento de Polícia de Central City. Sua obsessão por seu trágico passado faz com que ele fique separado das demais pessoas ao seu redor; ele investiga casos frios, ocorrências paranormais, e vazamentos de ponta de avanços científicos que podem dar uma luz no caso do assassinato de sua mãe. Ninguém acredita em sua descrição do crime — que uma bola de raio com o rosto de um homem invadiu sua casa naquela noite e matou sua mãe — e Allen é forçado a procurar por si mesmo pistas que limpem o nome de seu pai. Quatorze anos depois da morte de sua mãe, uma explosão de um avançado Acelerador de Partículas, durante sua apresentação ao público, banha a cidade com uma forma de radiação previamente desconhecida durante uma tempestade. Barry é atingido por um raio da tempestade e banhado nos produtos químicos de seu laboratório. Acordando depois de um coma de nove meses, ele descobre que tem a habilidade de se mover mais rápido do que qualquer ser humano. O Dr. Harrison Wells, criador e responsável pela falha do Acelerador de Partículas, descreve a natureza especial de Barry como um "meta-humano"; Barry, mais tarde, descobre que ele não é o único que mudou com a radiação. Ele promete usar seus poderes para proteger Central City dos riscos criminais dos meta-humanos. E então, associado por alguns amigos próximos que guardam seu segredo, Barry adquire uma nova personalidade conhecida como Flash.

Minha opinião: Eu não sei se eu to numa fase de super heróis ou se realmente esta série é muito boa! Eu fui me apaixonando aos poucos até chegar uma hora que eu até sonhava com a série. Eu amo o humor do Cisco, a trama com Dr Wells e Barry, e romance com Iris. E o que dizer dos grandes vilões do Flash? As vezes não se gosto mais dos vilões do que de Barry, de tão bons que são. Meu preferido com certeza é o Zoom, da segunda temporada! 

#3 Máquina Mortífera | Nota IMDB: 8,0

Sinopse: Baseada na famosa franquia do cinema, Máquina Mortífera (Lethal Weapon) conta a história da dupla clássica de policiais Riggs e Murtaugh em sua luta contra o crime na Los Angeles dos dias de hoje. Amargurado após a perda de sua jovem esposa grávida, o ex-SEAL da marinha e detetive Martin Riggs se muda para a Califórnia para "recomeçar a vida", no LAPD (Departamento de polícia de Los Angeles). Ele irá atuar ao lado de Roger Murtaugh, que acaba de voltar ao trabalho após um infarto quase fatal. Mas a tendência de Riggs de agir impulsivamente e se atirar na linha de fogo vai de encontro à técnica politicamente correta e prudente de Murtaugh. Fica claro a partir do momento em que eles se conhecem que essa parceria tem tudo para dar errado. Logo no primeiro caso que enfrentam juntos, Riggs arrasta Murtaugh a uma perseguição na estrada e a um tiroteio com traficantes de drogas. Apesar de protestar, o policial veterano sente-se mais vivo do que nunca. Ao mesmo tempo, Riggs consegue entender por que Murtaugh está tão determinado a chegar em casa com segurança no fim de cada dia – ele tem uma família e um filho recém-nascido para cuidar. Quando a investigação dos dois termina, Riggs se dá conta de que pode ter encontrado algo valioso: um parceiro e um amigo em Murtaugh. Murtaugh também percebe que a dupla pode funcionar. Se Riggs não matar os dois antes

Minha opinião: Antes de começar a ver Máquina mortífera achei que não conseguiria assistir, que drama do Riggs era forte demais pra mim. Até então não tinha assistido nenhum filme de Máquina Mortífera, mas já conhecia a história. Decidi ver com meu marido, pois ele ama os filmes. A série me surpreendeu logo no episódio piloto, a dosagem perfeita entre drama e comédia fez com que a série não fique tão pesada, embora aborde mais a fundo os sentimentos de Riggs na série que no filme (depois eu assisti toda a trilogia). As ações suicidas de Riggs durante toda a temporada são cruciais para desvendar a maioria dos casos. A relação dele com seu companheiro Roger vai crescendo aos poucos e eu simplesmente não consigo mais parar de assistir. 

#4 Demolidor | Nota IMDB: 8,7

Sinopse: Advogado durante o dia, Matt Murdock usa à noite seus sentidos aguçados, adquiridos em um acidente na infância que lhe deixou cego, para combater o crime nas ruas de Hell's Kitchen, bairro onde cresceu em Nova York. A primeira temporada vê Wilson Fisk travando uma guerra de gangues com os russos e procura ascender seu poder político. Mesmo sem recursos, Murdock e seus aliados devem expor a verdadeira identidade de Fisk e derrotá-lo. Na segunda temporada, Murdock continua a equilibrar a vida como advogado e vigilante, enquanto cruza caminhos com Frank Castle, um vigilante com métodos muito mais mortais, assim como o retorno de sua ex-namorada – Elektra Natchios.

Minha opinião: Essa é uma série tipo uma exceção da regra pra mim. Eu jamais veria uma série violentea e com sangue, mas essa me prendeu, viu? E tem sangue sim, mas vale cada minuto assistido. Demolidor é um super-herói diferente. Isso porque além de não ter poderes especiais, ele ainda possui uma deficiência visual. Mas isso não impede que ele combata o crime na cidade, e é isso que torna a história ainda mais interessante. As cenas de enfrentamento são demais, minhas preferidas!

#5 Santa Clarita Diet | Nota IMDB: 7,8

Sinopse: Em Santa Clarita Diet, Sheila (Barrymore) e Joel (Olyphant) são marido e mulher, corretores de imóveis com vidas um pouco descontentes em Santa Clarita, no subúrbio de Los Angeles, com sua filha adolescente Abby (Liv Hewnson) - até que Sheila passa por uma mudança radical que leva suas vidas a um caminho de morte e destruição… Mas de um jeito bom. Depois de ter alguns problemas, Sheila acaba vomitando uma estranha bola vermelha e passa a comer apenas carne humana. Sempre apoiada pela família, Sheila embarca nessa nova jornada morta-viva, ficando cada dia mais linda e disposta com a nova dieta milagrosa. 

Minha opinião: Essa série é totalmente fora do comum. Embora eu já tenha postado ela aqui no blog como sugestão para ver no carnaval, eu precisava comentar mais dela. A cada episódio uma mistura de WHAAAT com MUITO BOM tomava conta de mim. Parece estranho né, mas gente, é isso! Eu ficava sem ação com a naturalidade que os personagens tratavam o problema de Sheila, é tão inacreditável que você ri, mas ri muito! E olha aí mais uma vez o sangue não me atrapalhando de assistir séries! hehe!

#6 3% | Nota IMDB: 7,6

Sinopse: A série apresenta um mundo pós-apocalíptico, depois de diversas crises que deixaram o planeta devastado. Num lugar não especificado do Brasil, a maior parte da população sobrevivente mora no Continente, um lugar miserável, decadente, onde falta tudo: água, comida, energia e outros recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão tem direito de participar do Processo, uma seleção que oferece a única chance de passar para o Maralto, onde tudo é abundante e há oportunidades de uma vida digna. Mas somente 3% dos candidatos são aprovados no Processo, que testa os limites dos participantes em provas físicas e psicológicas, e os coloca diante de dilemas morais.

Minha opinião: Pra completar minha lista, uma série brasileira. Totalmente diferente do que estou acostumada a ver no Brasil (bestoral), 3% é um drama que narra a história de jovens de 20 anos que tentam a todo custo sair de um lugar horrível onde moram, para o Maralto. As provas prentem a atenção e o suspense para saber quem vai conseguir chegar até o final me deixaram presa no sofá até o último episódio. E quero mais, viu? Pra acrescentar existe uma história mal contada entre o reponsável pela seleção e sua ex-companheira. Ansiosa para a próxima temporada! 

E aí meninas, o que acharam? Vocês gostam dessas séries?
Me contem! Bjos!


sábado, 8 de abril de 2017

Comprinhas Forever 21 + Wish List

 

Oi meninas, tudo bem?
O post de hoje é sobre umas comprinhas que fiz na Forever 21. Se você viu o post de ontem sabe que eu fui em um evento Elas por Elas 2017 maravilhoso no Village Mall. Aproveitei para passar nessa loja linda após o evento e não resisti a três peças lindas! 

A loja estava com uma promo muito boa. Na compra de uma peça em promoção você leva outra de igual valor, essa peça também precisa estar na promoção. Respirei pra não pirar na loja e foquei em coisas que estava precisando e outras que eu queria já há muito tempo! 

Vem ver! 


Blusa preta bordada: Pra quem tá acompanhando as tendências de moda sabe que o bordado chegou com tudo. Eu estava louca por uma blusa assim. Logo que vi me apaixonei. R$ 69,99

Calça jeans: Jeans é uma peça que nunca é demais ter, né? E confesso pra vocês, eu tenho muitas calças mas nenhuma na cor jeans jeans sabe? Com essa lavagem azul. Estava precisando urgente. Provei a calça e ficou perfeita no meu corpo, parece feita pra mim. Os tamanhos na loja são diferentes, a minha é 26 que se compara ao 36 no Brasil. R$ 90,93

Blusa manga longa e rendada: olha que amorzinho essa blusa meninas. É muito fofa. A manga flair está super em alta também. R$ 59,90. Como as duas blusas estava na promoção, essa saiu de graça!! AMEI DEMAIS! <3 


E aqui vai algumas roupas lindas que estão na minha Wish List da Forever 21. Vem ver!





Daí, tô eu tentando tirar fotos das comprinhas até que esse coiso gordo resolver dormir bem tranquilamente perto da minha roupina! hahaha... que vontade de apertaaar esse gato mais lindo que eu tenho gentee! kkkk Quem não conhece o Little Beto, tem a hitória dele AQUI!



E aí meninas, vocês gostam desse tipo de post?
E as comprinhas? Beijos! <3 








sexta-feira, 7 de abril de 2017

Elas por Elas 2017 - Empoderamento Feminino


Oi meninas, tudo bem?
Hoje vim falar sobre um evento incrível que participei semana passada sobre o empoderamento feminino,  intitulado de "Elas por Elas". O evento aconteceu no Shopping Village Mall no Rio de Janeiro.

 As revistas "Glamour", "Crescer", "Galileu", "Vogue", "Marie Claire" e "Pequenas Empresas & Grandes Negócios", junto com o jornal "O Globo", se uniram para dois dias de debates e palestras focadas no empoderamento feminino. Temas como carreira, empreededorismo, maternidade e violência contra a mulher foram debatidos por especialistas e porta-vozes do assunto.

Segundo a Revista Crescer "Empoderamento feminino. A expressão está cada vez mais frequente em conversas e debates, sejam eles físicos ou virtuais. Ainda bem! Já passou da hora de a sociedade discutir de maneira mais ampla e profunda a presença e a importância da mulher em várias de suas esferas. E como valorização, infelizmente, não cai do céu, cabe a elas mesmas, às mulheres, reivindicarem seus direitos."

Participei do primeiro dia de evento e já adianto, foi maravilhoso! Muito do que eu pensava foi discutido e ainda me alertaram para coisas que ainda não tinha refletido.

Para abertura tive a oportunidade de ouvir a jornalista Glória Maria falar sobre o maior poder da mulher, o poder de ser mãe: "Não existe nada mais poderoso do que colocar alguém no mundo. As mulheres precisam ser respeitadas para exercer o poder que elas já têm, que vem de dentro. Devemos transformar nossas fragilidades em força juntas". E ainda, ouvir a promotora pública de SP Gabriela Mansur falar de diversos casos de abusos e estupros que ouve todos os dias, e se orgulhar por conseguir pela primeira vez que um homem seja considerado culpado com pena de 58 anos de prisão por estupro, o caso com maior pena na história profissional da promotora, e ela ainda acrescentou: "Enquanto eu for promotora de Justiça, não vou permitir que uma mulher peça desculpas por ser mulher"



O primeiro debate foi sobre feminismo na rede. "Uma blogueira negra, uma plus size, uma feminista engajada. Digital influencers de diferentes clusters falam do empoderamento feminino por meio das redes sociais, do enfrentamento aos hatters e afins."Com a jornalista Flávia Durante, A youtuber Jout Jout, a escritora Nana Queiroz e a arquiteta Stephanie Ribeiro. Foi uma experiência única pra mim poder aprender in real life com essas mulheres incríveis.



Para a segunda mesa "Ciência ainda é coisa de homem? Tem que ser menino para ser respeitado no mundo dos games? E no do futebol, no do surf? Mulheres de diferentes clusters machistas falam sobre o que passaram – e ainda passam - para chegar ao topo." As palestrantes foram: Adriana Melo (IPESQ), Gabriela Franco (Minas Nerds), Lygia da Veiga Pereira (USP), Maya Gabeira (surfista) e Nicolle Merhy (gamer).



E a terceira palestra que assisti era a que eu mais estava ansiosa "Do zero a um milhão - empreendedorismo feminino: É mais difícil empreender quando se é mulher?" Quais são os maiores desafios e empecilhos para aquelas que querem ser donas do próprio negócio? Com: Beatriz Cricci (BrGoods), Jane Muniz (Spa das Sobrancelhas), Sandra Soares Costa e Janete Vaz (Laboratório Sabin) e Zica Assis (Beleza Natural). Como vocês sabem comecei a minha lojinha virtual em fevereiro e foi muito inspirador pra mim ouvir tantas histórias de mulheres fortes que reverteram seu quadro financeiro e profissional com muita garra e força de vontade! Já estou aplicando tudo que aprendi na lojinha! 




Jamais esquecerei de tudo que aprendi neste dia. Com certeza pra levar pra vida. Uma pena que eventos como esse não são muito divulgados e não acontecem em muitas cidades do Brasil. 

O que acharam meninas?
Beijos <3 

FACEBOOK | INSTAGRAM | LOJA



quarta-feira, 5 de abril de 2017

Veludo: Como usar?


Oi meninas tudo bem? Vamos falar de veludo?

Não há dúvidas que o tecido do ano é o veludo! Surgiu na Índia e começou a ser comercializado em meados do século 14. Porém, foi na década de 60 e 70 que o veludo ressurgiu na moda, principalmente em peças como saias e calças, sendo sinônimo de luxo. Esse tecido ficou esquecido por um tempo, até que no ano 2017 ele volta com tudo pra compor diferentes looks. 

Usar veludo apenas em ocasiões formais é coisa do passado. Invista em shorts, vestidinhos, blusas, macacões e conjuntos esportivos. Vale inventar e mesclar com tecidos leves ou pesados, meias-calças coloridas ou com texturas.

Hoje vamos ver algumas inspirações para arrasar na trend mais falada da temporada! 

#1 Blusas



#2 Saias



#3 Vestidos



#4 Calças



#5 Blazer



#6 Conjuntos / Macacão



#7 Botas




E aí meninas, o que acharam das inspirações?
Eu amei essa tendência e já quero usar! Prefiro as blusas e os vestidos! Vale também misturar tendências como o bordado ou a transparência.


Me digam que look usariam! Bjos! <3 






segunda-feira, 3 de abril de 2017

FOODTRUCK!


Oi meninas, tudo bem?
Hoje o post é sobre uma tendência gourmet que vem crescendo no Brasil! O FoodTruck. 
Conheci há pouco tempo numa feira gastronômica itinerante que aconteceu aqui no meu bairro no Rio de Janeiro, e confesso, adorei! 
Além muitas comidas diferentes, tinha música ao vivo, bandas e opções de lazer. Perfeito para passear com a família!

# O QUE É?

Pra quem não sabe Food truck (traduzido do inglês, "caminhão de comida")[1] ou carro de comida é um espaço móvel que transporta e vende comida. Alguns, como caminhões de sorvete, vendem congelados ou pré-embalados; outros se assemelham a restaurantes sobre rodas. Alguns servem refeições específicas, como, por exemplo, tacos, kebab, hambúrguer e comida chinesa. A sua popularização, no entanto, se deu quando os caminhões passaram a servir comida gourmet.

#COMO COMEÇOU?

Era uma vez – em 1866 – um fazendeiro chamado Charles Goodnight, conhecido na internet por “pai do Texas Panhandle” e fazendeiro mais famoso da região. Segundo boatos, Charles Goodnight tinha um caráter bem “colorido” – era de conhecimento comum que ele fumava mais de 50 cigarros por dia e que aos, 91 anos, casou-se com uma enfermeira de 26. No entanto, Charles deixou para o mundo um legado particular e especial: ele inventou o food truck original, chamado vagão de mandril, e foi responsável pelo grande boom da comida de rua. Nos anos 1950 viram o nascimento do caminhão de sorvete. Em seguida, carrinhos de comida começaram a aparecer fora das Bases do Exército dos EUA e em locais de construção. Caminhões de batatas chips vieram no final dos anos 50, e caminhões de tacos surgiram com o aumento de imigrantes do México para os Estados Unidos, tornando-se populares em 1970. Neste período, os trucks não tinham o preço acessível, nem a cara moderninha e gourmet que nós conhecemos e amamos hoje. Eles eram básicos, “colarinho azul” e meio gordurosos.

#COMO FICOU FAMOSO?

No período de Ação de Graças – feriado popular nos Estados Unidos –  de 2008, o truck Kogi BBQ decidiu locomover-se, saindo com seu pequeno caminhão de taco coreano pelas ruas de Los Angeles.
Seu website não mente: eles fizeram detonar uma “bomba de sabor.” Porque o Kogi BBQ não têm um local fixo, eles usaram as mídias sociais para anunciar o local de parada de seu caminhão. Sua oferta era a aventura, o “diferentão”, uma proposta “além do gorduroso”, oferecendo um hambúrguer diferenciado, além de outras opções de fast food.
De repente, houve uma nova forma de desfrutar a comida de rua, e os consumidores começaram a procurar food trucks, verificando seus horários e planejando as suas refeições de acordo com a programação deles.Ecomanda

#COMO CHEGOU NO BRASIL?

Neste ano, mesmo sem crise, a febre chegou ao Brasil. Só em São Paulo, mais de 300 empreendedores pediram autorização para estacionar seus food trucks. O sucesso se repete em outros Estados. Segundo o site Food Truck nas Ruas, que ajuda a localizar os carrinhos, há opções no Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Brasília e Minas Gerais. O principal atrativo para proprietários é o preço. Incluindo o valor do veículo, cozinha e montagem, um food truck custa cerca de R$ 250 mil – mais barato que abrir um restaurante. As refeições saem, em média, por R$ 20. De olho nesse mercado, muitos chefs tentam se adaptar às cozinhas apertadas. Será que eu conseguiria fazer o mesmo? Época

#ONDE ENCONTRAR NO RIO DE JANEIRO?

Pra você que mora em terras cariocas, pode acessar o FOODTRUCK RIO, lá tem informações sobre os eventos. Outro site também é o FOOD PARK CARIOCA





E aí meninas. já encontrou algum evento assim na sua cidade?
Me contem!! 
Beijos!

ATENÇÃO: Chegaram produtos novos na lojinha!!! Vai lá conferir!! ThayDreamsStore




domingo, 2 de abril de 2017

Intolerância a diferença!


Oi meninas tudo bem? 
Pra quem acompanha o blog, sabe que todo domingo (ou quase) eu posto textos que escrevo, pensamentos e coisas que vi e que me chamaram a atenção. Gosto de compartilhar com vocês porque aqui é um pedaço de mim, e uma chance de nós conversarmos sobre diferentes assuntos. 

Então, hoje resolvi trazer um tema que muito tem me incomodado ultimamente, e mostrar um vídeo que me fez refletir bastante. 

Será que nós estamos nos tornando cada vez mais intolerante ao que é diferente de nós? Claro, é normal que a gente procure se socializar com pessoas que têm algo em comum com a gente. Mesmo gosto musical, mesmo gosto de comida ou opções de lazer.  Mas será que nós dispensamos quem pensa diferente de nós simplesmente porque são diferente de nós? Parece confuso, mas não é! 

Esses dias eu estava dando aquela olhadinha no facebook até ver uma certa menina que postou a seguinte frase: "Curte Bolsonaro? Limpezinhaa hehe" E daí pensei, "e se sim, qual o problema? Sou uma pessoa pior por isso ou temos apenas convicções políticas diferentes?"
E essa frase é mais comum do que pensei! Quantas vezes mais li limpezinha no face nos últimos meses? Eu não tenho ideia. Seja uma feminista. um esquerdista, uma pessoa de direita, uma que apoia o aborto, outra que não. É difícil conviver com as diferenças, mais fácil descartá-la. 

Excluímos pessoas de nossas vidas como se fossem meros objetos, ao invés de procurar entender seu modo de pensar, e acima de tudo RESPEITAR! 

Tá aí a palavra que resume tudo. RESPEITO! Gritamos por querermos nossos direitos sendo cumpridos, mas não nos colocamos no lugar do outro. Falta compaixão, falta amor! 
Imagine quantas coisas poderíamos aprender com alguém que pensa diferente de nós, se não fosse nosso método de viver o mais fácil. É aquele famoso pensamento que diz que o ser humano prefere relacionamentos rasos ao invés de se jogar no outro. 

Jesus há 2 mil anos atrás já nos ensinava "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo'. Mas eu digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, 
Mateus 5:43-44

Vocês já pensaram sobre isso? Me contem a opinião de vocês!

Antes de sair, confira o vídeo que muito me fez pensar. A Fabi Bertotti me ensina muito em seus vídeos. Mais do que vida cristã, ela me ensina a ser uma pessoa melhor! 

Bjos!